Lendas urbanas que aterrorizavam a criançada nos anos 90 e existem até hoje

Lendas urbanas que aterrorizavam a criançada nos anos 90 e existem até hoje

Lendas urbanas são histórias sensacionalistas, que foram criadas para assustar quem as escuta e essas assustaram muitas crianças e continuam assustando até os dias de hoje.

Quando juntamos o espírito fofoqueiro com o espírito criativo do brasileiro, chegamos às Lendas Urbanas. Capazes de gerar histeria coletiva.

 

1. Loira do banheiro

Uma das lendas urbanas mais famosas do mundo inteiro, a história começou a circular nos anos 70 e assusta muitas crianças até hoje. A lenda tem muitas versões, mas quase todas contam com o mesmo ritual.

Acredita-se que ao desligar a luz do banheiro, citar seu nome em frente ao espelho e puxar a descarga 3 vezes, uma mulher loira com rosto e roupas brancas aparecia para te assombrar.

 

2. Velho do Saco

Veja também: 15 atores esquecidos pela mídia que voltaram às telonas da melhor maneira possível

Essa lenda urbana começou nos anos 50, mas repercutiu por muitos anos. Segundo às crenças populares, um velho mal humorado andava pelo Brasil raptando crianças que não respeitavam aos mais velhos.

A história serviu como forma de educar muitas crianças. O homem carregava um saco onde colocava crianças malcriadas. Existem muitas variações dessa história, incluindo uma que diz que o Homem do Saco transformava crianças malcriadas em sabão.

 

3. A caronista

Uma das histórias mais macabras da época. A lenda conta com a história de uma jovem que vivia perambulando pelas noites na cidade, pegando “carona” em táxis de noite. A jovem entrava nos carros perto de um cemitério afirmando que seus pais iriam pagar a viagem em sua chegada.

Ao passar o endereço, seguia a viagem em silencio até chegar ao destino e dizer que aquele foi o lugar em que morreu à muito tempo atrás.

 

4. Anistia

Existe uma lenda envolvendo uma música perdida de Tim Maia, que teria sido barrada durante a época da Censura. A música se chamava “Anistia (Uma Questão de Amor)” e acreditava-se que teria sido barrada em 1978, muitos acreditavam que a música existia e que teria sido gravada.

Não existe nenhuma prova de que a letra fazia parte de uma canção, alegadamente uma homenagem e referência à Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil. Muitas pessoas acreditam que a letra foi uma estratégia de Tim para burlar as cobranças de um produtor.

 

5. Seringas no cinema

Durante o pânico da AIDS nos anos 80, o nível de histeria chegou à níveis preocupantes quando as pessoas começaram a afirmar que criminosos estavam distribuindo agulhas infectadas com a doença pelos cinemas.

A história assustou muitas pessoas, mesmo sem nenhuma prova disso. Muitas pessoas deixaram de frequentar salas de cinema por medo de serem infectadas por seringas nas cadeiras.

 

6. Opala Preto

Dizem as lendas, que nos anos 70 um bandido fluminense chamado Ubiratã Carlos de Jesus Chavez estava dirigindo pelas estradas do Rio de Janeiro quando morreu em um acidente em um túnel.

Segundo a lenda, seu Opala teria sobrevivido ao acidente e “incorporado” a alma do bandido. Desde então, a crença é de que este carro continuava andando pela região e perseguindo qualquer pessoa que tentasse entrar em seu túnel durante a madrugada.

 

7. Quadros de Bebês Chorando

Uma lenda popular por vários lugares do mundo, os retratos de crianças chorando em pinturas do italiano Giovanni Bragolin. As pessoas acreditavam que suas origens contavam com tragédias ocorridas com as crianças, como quedas e incêndios.

O boato começou porque as pessoas acreditavam que Bragolin teria feito um pacto para vender sua alma, assim amaldiçoando suas pinturas que seriam a imagem do próprio Diabo.

 

8. Big Mac de minhocas

Uma história que surgiu nos EUA e acabou parando na boca dos brasileiros. O boato era de que a carne dos sanduíches do McDonalds eram feitos de minhocas para que o lanche fosse mais barato, mostrando também o quanto a rede não se importava com seus clientes. Os rumores também afirmavam que a “carne de minhoca” era mais nutritiva e calórica.

O boato começou em uma rede de TV, que prejudicou radicalmente as vendes da rede, fazendo com que caíssem cerca de 30%. A empresa negou todos os boatos, afirmando que eram invenções de mentes maldosas.

 

9. Boneca da Xuxa

Veja também: Artista usa Photoshop para juntar atores famosos aos seus personagens

Uma das lendas que mais causou medo durante os anos 80 e 90. A boneca virou febre entre as crianças quando a apresentadora Xuxa fez seu anuncio. Logo após seu lançamento, a história de uma mãe que comprou o brinquedo para sua filha começou a circular.

Algumas histórias dizem que a mãe “vendeu sua alma” para conseguir a boneca, outras dizem apenas que a menina dizia “adorar” a boneca. A criança dormia com a boneca todos os dias e a sua mãe começou a perceber hematomas e arranhões sem explicação até que em uma tarde encontrou sua filha morta em seu quarto, com a boneca em cima de seu corpo.

O pânico foi imenso na época e muitas lojas deixaram de vender a boneca.

 

10. Faca dentro do Fofão

Sucesso entre os brinquedos, Fofão já esteve no centro de conspirações macabras. Muitas pessoas na época de seu sucesso acreditavam que o boneco fazia parte de “pactos” para matar crianças durante a noite. Tudo isso porque acreditavam que um punhal estava escondido dentro de seu corpo.

Acontece que na ou “punhal” existia mesmo dentro do corpo do boneco, mas não se passou de uma estrutura para mantê-los em pé.

Comentário